Pensei que no meio de todo o barulho da internet e das notícias, ninguém se apercebesse de que tinha parado de publicar artigos. Estava enganado. Na última semana, várias pessoas me têm questionado pelo blog. Então percebi que me tinha escondido por detrás de uma desculpa, em vez de tornar explícito o que se estava a passar. Também por medo de desiludir.

Ao longo dos dezanove artigos que escrevi, a vontade de escrever algo maior foi crescendo em mim. Então decidi começar a escrever uma ficção. Escrever algo maior que quatro páginas é uma luta diária de foco e criatividade. Tentei continuar a escrever para o blog, mas descobri que não consigo paralelizar escritos. Então tomei uma decisão:

Volto ao blog depois de dia 15 de setembro, até lá estou dedicado ao Lourenço Black e ao pequeno-hippie.

Espero que estejas bem. Até já.

About Rodrigo Dias

Como muitas das melhores coisas na vida, não estava planeado eu nascer. Apareci no mundo assim de surpresa e tive a sorte de ter uma família maravilhosa à minha espera. Cresci rodeado de amor, de valores e de experiências enriquecedoras. Como diria o Tim Minchin: “He’s a victim of his upper-middle class upbringing”

Cresci introvertido. Quando tinha quinze anos, o meu pai descrevia-me aos seus amigos como sendo o filho que quando chegava a casa, ninguém dava por mim. Aos poucos fui aprendendo que expôr o que penso e o que sinto a partir de um espaço genuíno me ajuda a perceber quem sou, o que quero e para onde vou.

No caminho de me tornar pessoa sempre refleti sobre como não me tornar numa formiga humana. Dessa reflexão nasceram muitos projetos. O mais importante foi criar uma família com a Carla e tornar-me pai de dois mestres sábios que me trouxeram a compreensão de que ainda há muito por descobrir sobre mim próprio. Outro projeto importante foi decidir tornar-me terapeuta, depois de uma carreira profissional no mundo do desenvolvimento de Software. No mundo da terapia as minhas maiores inspirações são a Biossíntese, uma psicoterapia corporal desenvolvida por David Boadella, e o mundo dos palhaços, no qual tenho desenvolvido o projeto Oficina Clown com o meu grande amigo Ricardo Lapão.