Devo o gosto pela escrita à minha mãe, a única não engenheira lá de casa. Ela fez o Curso Superior de Jornalismo na Faculdade de Letras, comigo ainda na barriga. Esse terá sido o meu primeiro contacto com o mundo das palavras. Imagino-me aconchegado na minha cápsula ultra-eficiente, embalado pela prosódia dos professores. Cumpria o sonho de muitos alunos universitários – dormia em plena aula.

Hoje percebo que foi a sua validação e o seu olhar orgulhoso que foi alimentando o meu ensejo em escrever. Comecei por escrever contos, experimentei a poesia e sonhei um dia escrever um grande romance. Mas esse era o mundo das horas vagas, paralelo ao mundo da pressão, onde me formei em Engenharia e mais tarde em Psicoterapia. A dada altura zanguei-me com a escrita. Ao começar o meu processo psicoterapêutico apercebi-me que escrevia para que gostassem de mim. Foi uma luta de dois anos. Até que, ao jeito da fénix, o desejo de escrever renasceu das cinzas e surgiu o blog. A necessidade de que gostassem de mim continuava presente, mas já não era tóxica, era apenas mais uma face do meu mundo interno mirabolante.

Convite

Quatro anos e cinquenta artigos depois, é com muito carinho que te venho convidar para o lançamento do meu livro “Tornar-me pai” – uma coletânea de histórias do mundo da paternidade que revi e reescrevi propositadamente para esta edição. 

O lançamento será no dia 23 de novembro de 2019, às 10:30 no auditório da Escola Filipa de Lencastre. Gostava muito de poder contar com a tua presença, a da tua família e a dos teus amigos. Se vieres, por favor avisa-me (rodrigo@apulsar.pt) para nós termos uma noção do número de pessoas que irá estar presente.

Ah! E se quiseres ganhar um exemplar espreita o seguinte desafio.

Desafio

Pensa numa pergunta para eu responder durante o lançamento do livro. Pode ser obscura, muito pessoal, totalmente fora da caixa, ou banal. Envia a tua pergunta para rodrigo@apulsar.pt até dia 18 de novembro. Eu irei juntar todas as perguntas e pedirei à Carla e aos nossos filhos para que cada um escolha, secretamente, a sua pergunta preferida. As três perguntas eleitas serão respondidas durante o lançamento e os seus autores receberão um exemplar do livro autografado.

Portanto, se quiseres animar a conversa durante o lançamento e habilitares-te a ganhar um exemplar do livro, não te esqueças de enviar a tua pergunta para rodrigo@apulsar.pt até dia 18 de novembro.

Hoje despeço-me com um abraço cheio de esperança de te poder vir a dar um abraço presencial durante esta minha celebração da paternidade.

About Rodrigo Dias

Como muitas das melhores coisas na vida, não estava planeado eu nascer. Apareci no mundo assim de surpresa e tive a sorte de ter uma família maravilhosa à minha espera. Cresci rodeado de amor, de valores e de experiências enriquecedoras. Como diria o Tim Minchin: “He’s a victim of his upper-middle class upbringing”

Cresci introvertido. Quando tinha quinze anos, o meu pai descrevia-me aos seus amigos como sendo o filho que quando chegava a casa, ninguém dava por mim. Aos poucos fui aprendendo que expôr o que penso e o que sinto a partir de um espaço genuíno me ajuda a perceber quem sou, o que quero e para onde vou.

No caminho de me tornar pessoa sempre refleti sobre como não me tornar numa formiga humana. Dessa reflexão nasceram muitos projetos. O mais importante foi criar uma família com a Carla e tornar-me pai de dois mestres sábios que me trouxeram a compreensão de que ainda há muito por descobrir sobre mim próprio. Outro projeto importante foi decidir tornar-me terapeuta, depois de uma carreira profissional no mundo do desenvolvimento de Software. No mundo da terapia as minhas maiores inspirações são a Biossíntese, uma psicoterapia corporal desenvolvida por David Boadella, e o mundo dos palhaços, no qual tenho desenvolvido o projeto Oficina Clown com o meu grande amigo Ricardo Lapão.